DÃO WINES SEMINAR BRASIL

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.31.21.png

A Região do Dão fica bem no centro de Portugal. Uma região elegante com rios, riachos e serra. Terra de muitas histórias, tradições e vinhos.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.30.51.png

Conhece os vinhos do Dão? Os vinhos do Dão são apreciados pelo seu caráter, são vinhos premiados sempre pelas críticas especializadas por combinarem de maneira quase perfeita os sabores e aromas mais requintados. Os vinhos do Dão são fiéis as origens, uma produção familiar ao longo da história, que nos leva de volta ao início do século passado. Mas, mesmo assim, o apego à tradição não impediu que novas técnicas fossem integradas à produção e tornassem os vinhos, ao mesmo tempo, requintados e modernos.

 

A Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR DÃO @daowines ), entidade que representa os interesses dos agentes econômicos envolvidos na produção e comercialização dos vinhos que possuem a denominação de origem controlada (DOC), realizou para profissionais no Brasil, o “DÃO WINES SEMINAR BRASIL“  de forma digital. Uma experiência para saborear vinhos únicos da Região do Dão ao lado dos produtores e enólogos. A apresentação do encontro digital foi realizado pela sommeliere @titamoraes na plataforma Zoom. Confira a apresentação e os vinhos.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.33.23.png

Osvaldo Amado

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.33.06.png

Paulo Nunes

A Região Demarcada do Dão, instituída em 1908. merece ser visitada com atenção. No Dão, a natureza foi particularmente generosa. As vinhas estão instaladas em terrenos de baixa fertilidade, predominantemente graníticos com diversos afloramentos xistosos que surgem a sul e a poente da região. Ainda que se encontre implantada em altitudes que rondam os 800 metros, è entre os 400-500 em maior quantidade.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.32.51.png

João Cunha

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.32.37.png

Carlos Moura

O acidentado terreno da região, é circundado por um conjunto de grandes serras que protegem das influências exteriores (a poente encontra-se a serra do Caramulo, a sul a luxuriante Buçaco, a norte a serra da Nave e a leste a imponente Estrela), constituem uma importante barreira contra as massas húmidas do litoral ou aos agrestes ventos continentais. O minifúndio e a exuberante vegetação com verde de todas as tonalidades, que vai alternando com rocha, contribuem para o quase anonimato da vinha na paisagem. E, no entanto, as videiras estão plantadas em cerca de 18.000 hectares, numa área geográfica de 388.000 hectares onde os produtores do Dão aproveitam as excelentes condições edafo-climáticas para explora a sua ancestral aptidão agrícola na produção de vinhos.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.32.12.png

Paulo Nunes

A rede hidrográfica da Região caracteriza-se por um traçado rígido indicando um ajustamento claro à estrutura do relevo por onde correm os três principais rios da região - O Dão, o Mondego e o Alva - cujos cursos apresentam um grande paralelismo enquanto percorrem todo o maciço granítico. O clima, não obstante temperado, é frio e chuvoso no inverno e muito quente e seco no verão, havendo contudo variações microclimáticas de grande importância para a qualidade dos vinhos, onde se enquadram as sub-regiões de Alva, Besteiros, Castendo, Serra da Estrela, Silgueiros, Terras de Azurara e Terras de Senhorim. Encontram-se assim reunidas condições únicas para a produção de vinhos com características próprias e bem definidas.

 

As castas brancas em destaque são: Encruzado, Malvasia Fina, Bical e Cerceal Branco. Já nas tintas: Touriga Nacional, Alfrocheiro, Aragonez- Tinta Roriz e Jean.

Os Vinhos

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.28.37.png

Adega de Penalva Reserva Tinto 2017

Medalha de Platina | Categoria II - Vinhos tintos de Lote

Enólogo Carlos Moura - Carlos Moura nasceu em Vila Real, é licenciado em Engenharia Agrícola pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e pós graduado pela Universidade Católica. Durante 10 anos trabalhou no departamento de enologia e no setor comercial da Dão Sul. Durante 8 anos foi o co-fundador do setor comercial da Lusovini, tendo sido destacado para liderar a Brasvini no Brasil. Desde 2017 é proprietário da importadora e distribuidora Vinhas sedeada em São Paulo.

 

CASTAS - Touriga Nacional, Jaen, e Tinta Roriz. Estágio de 12 meses em barricas novas e de segundo ano.

 

NOTAS - Cor rubi, aroma frutado e atraente. Sabor intenso, taninos irreverentes, frescura de boca e final longo.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.27.56.png

Ladeira da Santa Grande Reserva Touriga Nacional 2017

Medalha de Platina | Categoria IV – Vinhos Varietais @ladeiradasanta

 

Enólogo João Cunha- João Cunha é o responsável por toda a parte técnica da Ladeira da Santa. Esta paixão com altos e baixos pelas vinhas e vinhos começou há mais de uma década atrás. Com estágios de enologia em diversas regiões do País, acabou por se sediar na Região Demarcada do Dão por motivos familiares e por o Dão ser uma das regiões mais bonitas, equilibradas e complexas que possa existir em Portugal.

 

CASTAS 100% Touriga-Nacional. Estágio barrica de 225 litros de carvalho francês durante 12 meses e 6 meses em garrafa.

 

NOTAS Apresenta cor vermelho grená, com aroma floral, frutos secos, bagas e nuances a rosmaninho. Na boca apresenta-se fresco, untuoso, persistente e muito equilibrado.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.27.44.png

Casa da Passarella Abanico Reserva Branco 2019

Medalha de Platina | Categoria I – Vinhos Brancos de Lote @casadapassarella

 

Enólogo Paulo Nunes - Licenciado em Engenharia Alimentar e Mestre em Qualidade e Tecnologia Alimentar, é autor do primeiro artigo científico publicado sobre a casta Encruzado na prestigiada revista científica - Journal of the Science of Food and Agriculture. Começou a sua trajetória como enólogo em 2003 e hoje o seu trabalho é focado em produtores localizados em seis diferentes RegiõesDemarcadas: Dão, Bairrada, Douro, Trás os Montes, Alentejo e Távora-Varosa. É membro permanente da Câmara de Provadores da CVR Dão.

 

CASTAS - Bical, Cerceal, Barcelo, Terrantez e outras mais. 12 meses em balseiro carvalho e estágio de 9 meses em barrica de carvalho de 600 It

 

NOTAS - Citrino com nota de frutas brancas, encorpado, fresco, elegante e longo.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.27.23.png

Casa de Santar Vinha dos Amores Espumante Encruzado 2013

Medalha de Platina | Categoria V – Vinhos Espumantes @1990premiumwines

 

Enólogo Osvaldo Amado - Diretor de Enologia do Grupo Global Wines. Vinificou no Dão, Bairrada, Douro, Alentejo, Vinhos Verdes, Tejo, Lisboa, Espanha, Itália, África do Sul e Brasil. Já ganhou 3 vezes o Premio de Enólogo do Ano pelas Revistas especializadas em Portugal.

 

CASTAS - 100% Encruzado. Esmagamento com desengace total, prensagem pneumática suave, onde só se aproveitou o mosto flor. A clarificação foi estática natural e a fermentação alcoólica ocorreu a 18°C. Espumantização pelo método clássico durante 72 meses em cave e 6 meses em garrafa.

 

NOTAS - Cristalino, com bolha fina e persistente. Cítrico, complexo e intenso. Frutos secos, biscoito, pão torrado e cereal tostado. Bem seco, elegante e de longa persistência.

Captura de Tela 2021-08-31 às 11.28.18.png

Casa da Passarella Villa Oliveira Encruzado 2017

Enólogo Paulo Nunes - Licenciado em Engenharia Alimentar e Mestre em Qualidade e Tecnologia Alimentar, é autor do primeiro artigo científico publicado sobre a casta Encruzado na prestigiada revista científica - Journal of the Science of Food and Agriculture. Começou a sua trajetória como enólogo em 2003 e hoje o seu trabalho é focado em produtores localizados em seis diferentes RegiõesDemarcadas: Dão, Bairrada, Douro, Trás os Montes, Alentejo e Távora-Varosa. É membro permanente da Câmara de Provadores da CVR Dão.

 

CASTA - Encruzado. Vinificação com início de fermentação em curtimenta e final em barrica com estágio de 9 meses em barricas de carvalho de 600 litros.

 

NOTAS - Frutos brancos líchias Encorpado, fresco e elegante longo

 

Compartilhe com um amigo ou nas redes sociais.

 

08-2021